22/06/2020
PRAGAS URBANAS

Combate na pandemia deve ser intensificado

A Associação dos Controladores de Vetores de Pragas Urbanas (Aprag) reforça a necessidade de combater insetos e roedores nas grandes cidades durante a pandemia COVID-19. O maior tempo das pessoas em casa pode ter contribuído na proliferação desses agentes transmissores de doenças como dengue, zika, chikungunya, leptospirose, entre outras. 

Segundo a Aprag, o período de isolamento aumentou a quantidade de resíduos residenciais, além de transformar estabelecimentos comerciais fechados em campo fértil para o crescimento de pragas. O vice-presidente da associação, Sérgio Bocalini, diz que este tipo de atenção em um momento de pandemia torna-se mais importante. “Não podemos trabalhar com cobertor curto em termos de trabalho sanitário. O combate às pragas urbanas pode ajudar a diminuir o impacto nos hospitais. No inverno, podemos observar a presença mais intensa de roedores, principalmente em ambientes fechados, pois estão à procura de locais mais aquecidos” avisa Bocalini. Segundo o vice-presidente, para prevenir a proliferação das pragas urbanas dentro de casa é preciso primar pela organização dos ambientes e limpar detalhadamente o local.